domingo, 17 de agosto de 2014

Os maiores erros na hora de fazer as unhas

Suas unhas vivem fracas, finas e quebradiças ou, pior, têm manchas inexplicáveis? O erro pode estar na hora da manicure. A seguir listamos os maiores deslizes que podem prejudicar as suas garras.




1. Não levar seu alicate à manicure

Somente limpar com algodão e álcool as ferramentas da manicure não resolve nada! Para evitar a transmissão de doenças como aids e hepatites B e C só esterilizando os acessórios em autoclave. O palito e a lixa também deveriam ser descartados para impedir o acúmulo de bactérias. O ideal é montar um kit que só você tenha acesso e levar para a sua manicure.

 

2. Lixar em movimento de vaivém

Quando você faz o movimento de ida e volta com a lixa, acaba levantando e lesionando as escamas das unhas. Aí elas ficam mais finas, enfraquecidas e quebram facilmente. Com a superfície suave, lixe somente em um sentido para manter a lâmina firme, forte e bem definida.

 

3. Lixar a camada superficial

As unhas têm uma camada protetora, que não permite a instalação de fungos e a entrada de bactérias. Quando você passa a lixa na superfície, acaba retirando essa proteção, que deixa as unhas mais suscetíveis às doenças, como micoses, e à quebra. Prefira usar esfoliantes específicos para a região ou apenas as lixas de polimento, que são mais suaves.

 

4. Tirar demais a cutícula

Tirar toda essa pele abre as portas para fungos e bactérias, que podem causar infecções e, consequentemente, enfraquecer as unhas. Se a aparência das cutículas incomodar, a solução é empurrar suavemente com uma espátula e retirar só o excesso, sem cavucar muito. Dica: hidratar as cutículas todos os dias, faz com que a pele não levante, ou seja, você mal repara que a cutícula está lá. Ingredientes como óleo de cravo e queratina possuem ação anti-inflamatória e antisséptica e ajudam na revitalização do tecido.
  

5. Arrancar pele solta com os dentes

Puxar a pele levantada também pode abrir portas para a entrada de sujeira e causar inflamações, fora que você corre o risco de arrancar aquele bife. Já que está fazendo as unhas, use o alicate.   

6. Não passar base embaixo dos esmaltes coloridos

Sabe a velha história do esmalte vermelho que tinge a unha? Ela é verdade, mas pode acontecer com qualquer cor. É que os pigmentos dos esmaltes coloridos penetram na unha, que é porosa. A solução é passar uma base por baixo, se tiver dupla função, como as fortalecedoras, melhor ainda.

Gostaram das dicas???
Bjinhusss!

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Como transformar a make do dia para usar à noite


Bom dia meninas!

Hoje é sexta-feira, dia de baladinha, barzinhos, encontros e tudo mais!
E na correria do dia a dia muita gente vai direto do trabalho para seus compromissos pessoais, então nada mais prático do que aproveitar a make do dia e transformá-la para a noite não é?
Veja duas opções:





1. dia - Make Esfumado Em Potência Máxima: Não tem jeito:smokey eyes são tiro e queda para acrescentar sensualidade ao visual. Sob a luz do sol, prefira variações de cinza ou marrom para conquistar o efeito. A pele do inverno tem aspecto de “bem tratada” e é feita com base iluminadora, de textura leve, que confere viço ao rosto.
2. noite - Para Um Visual Rock’n’roll: Faça um fundo em tom café nas pálpebras, mas não tenha receio de abusar do preto por cima. “E nada de aplicar a sombra de maneira certinha. Ela deve aparecer sem definição”, decreta o expert. A máscara define tanto os cílios superiores quanto os inferiores.

1. Dia - Sobrancelhas definidas em alta: Realçadas e bem desenhadas, elas continuam na moda e, acredite, fazem toda a diferença para um visual forte e intenso. Com a ajuda de um pincel, preencha o fundo das sobrancelhas com uma sombra específica de cor próxima a desses pelinhos. Esfume para obter um efeito natural. Complemente o look dos olhoscom iluminador rosa perolado nas pálpebras e lápis branco na linha d’água.
2. Noite - Upgrade para a festa: Elimine o lápis branco e use um delineador líquido rente aos cílios inferiores, esfumando com uma sombra preta por cima. Capriche nas camadas de rímel. Aposte sem medo nos tons de lavanda, uva e roxo para destacar os lábios.

Arrasadoras hein, agora é só treinar e arrasar por aí!
Bjinhussss e um ótimo fds a todos!

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Cabelos curtos no inverno

Bom dia meninas,
Apesar do friozinho, a aposta nesse inverto são os cabelos curtos e curtíssimos, muitas famosas já aderiram, confiram alguns estilos de cortes:







Olha, a maioria aqui ficou lindíssima com o cabelo curtinho, tb já tive o meu assim batidinho, mas por acidente com os fios mesmo rs, acho mega charmoso os fios longos da mulherada rs...
Acho que eu arriscaria no máximooo o corte da Cláudia Raia, mas mesmo assim ainda estou tentanto deixar os meus compridos!
E vocês, preferem curtinhos ou compridos?

Bjinhussss!

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Inspiração: lindos penteados!!!

Bom dia meninas,
Hoje alguns penteados lindos, fico babando nesses com tranças, amoooo!
Inspite-se e faça igual!















Lindos demais né?

Bjinhusss!

terça-feira, 15 de julho de 2014

A diferença entre Hidratação "power", Nanoqueratinização e Cauterização

Bom dia meninas,
Às vezes os cabelos precisam de um socorro extremo e somos obrigadas a recorrer à tratamentos de salão, mas para isso é importante saber a diferença entre um e outro tratamento para optarmos pelo correto para nosso tipo de cabelo. Vamos ver a diferença e conhecer 3 tipos de tratamentos profundos para os cabelos:


HIDRATAÇÃO "POWER"

O que é: É uma técnica mais profunda de hidratação que permite que os fios recuperem a água e também reponham nutrientes para restaurar a emoliência e voltarem a ser saudáveis. Os ativos utilizados em cada caso variam de acordo com o salão e o profissional, mas de um modo geral os óleos (argan, jojoba, macadâmia, de semente de uva, semente de romã, de coco etc) estão na maioria das fórmulas, assim como vitaminas e aminoácidos. "Esse método foi muito beneficiado com a redescoberta das propriedades dos óleos vegetais, essenciais na restauração dos cabelos. Eu particularmene utilizo o argan, para sedosidade e brilho; e o de jojoba, para reconstrução da fibra capilar", diz o hairstylist Wilson Eliodorio, do Wilson Eliodorio Studio, em São Paulo.
Como funciona: Os óleos possuem nutrientes muito concentrados, que suavizam as cutículas dos fios e penetram mais facilmente na fibra, possibilitando uma melhor absorção dos aminoácidos, vitaminas e proteínas, que quando aplicados puros, também permeiam a superfície do fio tratando-o de dentro para fora.
Indicação: Cabelos ressecados e muito quebradiços, seja por consequência de químicas ou excesso de exposição ao sol, sal e cloro; e também uso excessivo de secador e chapinha. "Se perceber que o cabelo está com aspecto seco e embaraçando demais, com facilidade, é sinal de que precisa ser hidratado", ensina Silvana Lima, do Studio W Iguatemi, também de São Paulo.
Frequência: Quem vai avaliar é o cabeleireiro. Dependedo do estado do fio pode ser feita semanal, quinzenal ou mensalmente.


NANOQUERATINIZAÇÃO

O que é: O tratamento consiste na aplicação de queratina, por meio da nanotecnologia, para aumentar a eficácia. Isto é, as moléculas dessa proteína são reduzidas ao menor tamanho possível e, dessa forma, penetram mais fácil e profundamente no fio. "O objetivo desse tratamento é repor a queratina – matéria perdida quando o cabelo é submetido a processos químicos – dos fios danificados, que ficam porosos e sujeitos à quebra; e, assim, restaurar sua estrutura", explica Tania de Souza, profissional do Ricardo Maia Hair & Make Up, Brasília, DF. A queratina aumenta a resistência do fio, o que na prática significa um cabelo fortalecido. Quando há perda dessa proteína, o fio fica fraco, sem resistência. "Se não houver a reposição de queratina, a cutícula se abre e o fio torna-se muito fino nas pontas e pode até se romper só de tocar no ombro", alerta Silvana Lima, do Studio W.
Como funciona: A aplicação da queratina é feita por meio de pulverização, para assim formar uma névoa com micropartículas da substância e facilitar uma aplicação uniforme. "Esse método garante que a queratina seja bem distribuída, atingindo toda a superfície dos cabelos", explica Tânia de Souza.
Indicação: Cabelos submetidos a químicas fortes, como alisamento, descoloração e permanentes. Todos esses são processos agem profundamente no fio e quebram as ligações de enxofre que compõem a queratina. Por essa razão, a nanoqueratinização não pode ser aplicada em cabelos que não tenham sido submetidos a processo químicos, sob o risco de ficarem duros demais, por excesso de queratina. "O fio de cabelo deve ter maleabilidade, ou seja, depois de esticado, o certo é que volte para o lugar, se isso não acontecer e o fio se romper é sinal de porosidade, ele está fraco e precisa ser reestruturado", diz Bruno Amorim, do Célio Faria Instituto de Beleza, de Belo Horizonte.
Frequência: Vai depender das condições do fio, mas em princípio, quando a necessidade do tratamento é urgente, as sessões devem ser feitas uma vez por semana. Depois, com o tempo, à medida que o cabelo se restaura, pode ser feito, em média, a cada 40 dias, mas tudo vai depender da indicação do profissional, que inclusive pode dar "alta" dos procedimentos, depois de um período.


CAUTERIZAÇÃO

O que é: Considerado pelos especialistas como um dos tratamentos mais eficazes para ressuscitar fios destruídos. A cabeleireira Lela Athanásio, do Crystal Hair, do Rio de Janeiro, explica o porquê: "Ao selar por completo a cutícula, a cauterização garante que todos os nutrientes aplicados no fio permaneçam ali depositados por mais tempo, assim suaviza pontas duplas, elimina o frizz e devolve a elasticidado do fio", diz a especialista. Assim, além de saudáveis e resistentes, os cabelos recuperam o balanço natural e os fios ficam mais disciplinados. Os ativos usados são definidos pelos cabeleireiros e isso depende da necessidade de cada caso. Tânia de Souza, do Ricardo Maia Hair & Make up, de Brasília, por exemplo, faz uma cauterização à base de vitamina C, que tem ação antiquebra, e acrescenta também um pouco de queratina, para resistência; e ceramidas, que nutrem e dão brilho aos fios. Já Lela Athanásio, do Rio de Janeiro, prefere fazer com aminoácidos, que ajudam no crescimento e têm ação antioxidante; queratina e outras proteínas, como o colágeno, que também fortalecem o fio.
Como funciona: A aplicação da queratina é feita por meio de pulverização, para assim formar uma névoa com micropartículas da substância e facilitar uma aplicação uniforme. "Esse método garante que a queratina seja bem distribuída, atingindo toda a superfície dos cabelos", explica Tânia de Souza.
Indicação: Cabelos submetidos a químicas fortes, como alisamento, descoloração e permanentes. Todos esses são processos agem profundamente no fio e quebram as ligações de enxofre que compõem a queratina. Por essa razão, a nanoqueratinização não pode ser aplicada em cabelos que não tenham sido submetidos a processo químicos, sob o risco de ficarem duros demais, por excesso de queratina. "O fio de cabelo deve ter maleabilidade, ou seja, depois de esticado, o certo é que volte para o lugar, se isso não acontecer e o fio se romper é sinal de porosidade, ele está fraco e precisa ser reestruturado", diz Bruno Amorim, do Célio Faria Instituto de Beleza, de Belo Horizonte.
Frequência: Vai depender das condições do fio, mas em princípio, quando a necessidade do tratamento é urgente, as sessões devem ser feitas uma vez por semana. Depois, com o tempo, à medida que o cabelo se restaura, pode ser feito, em média, a cada 40 dias, mas tudo vai depender da indicação do profissional, que inclusive pode dar "alta" dos procedimentos, depois de um período.


E agora, já sabe qual é o melhor para você?

Bjinhussss!

Veja mais!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...